terça-feira, 17 de setembro de 2019

Revista turística "Natal Pra Você" traz matéria sobre a "Suiça do Seridó"


A revista trimestral de turismo "Natal Pra Você" que é editada pelo jornalista carioca Antonio Roberto Rocha, mas que é radicado no Rio Grande do Norte, traz em sua edição de nº 49 (set/out/nov) uma matéria de duas páginas sobre Cerro Corá, a "Suiça do Seridó". A revista será lançada na 47ª Exposição Internacional de Turismo (AbavExpo), que ocorrerá entre os dias 25 e 27 de setembro, em São Paulo. O evento contará com mais de 23 mil participantes e pelo menos 1.100 expositores. A diagramação da matéria é do angicano Francisco Marrocos.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Lei em Santana do Matos reconhece vaquejada como atividade esportiva

O prefeito de Santana do Matos, José Edvaldo Guimarães Júnior, sancionou lei que reconhece a vaquejada como atividade esportiva e cultural no município. A lei aprovada na Câmara Municipal tem um prazo de 90 dias para ser regulamentada.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Encontro do Geoparque Seridó terá visita em Cerro Corá

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza o segundo encontro potiguar referente ao projeto Geoparque Seridó, no Ceres Currais Novos.  O evento de cunho científico começou na quinta-feira (12) e se encerra neste sábado, com visita técnica aos geossítios de Cerro Corá e Lagoa Nova.

Os participantes discutem o desenvolvimento de ações sustentáveis voltadas para as comunidades locais e a conservação de recursos naturais. Este ano, a temática será Gestão, inovação e políticas de inclusão.

Nesta edição, não foi cobrada taxa de inscrição, mas solicitou-se a doação de dois quilos de alimentos por parte de cada participante que serão destinados a Associação Brejinhense de Educação Cultura e Artes (ABECA).

A programação conta com diversas palestras e minicursos abrangendo desde metodologias inovadoras para geoparques até estratégias de mercado e governança em áreas do Seridó. Para conferir a programação completa, assim como mais informações sobre o encontro.

Palestras

Sexta-feira, 13

8 horas – 9h30
Exercício verde como estratégia para o desenvolvimento sustentável em territórios geoparques, com o professor Eduardo Guimarães (Geopark Araripe, Ceará)

9h45 – 11h30
Geodiversidade e novas propostas de Geoconservação: Geoeducação e Geocultura, com o professor Marcelo Martins de Moura Fé (URCA)

Mini cursos
14 horas às 17 horas
Ensino-aprendizagem e metodologias inovadoras em territórios de geoparques, com Janaína Luciana de Medeiros (Geoparque Seridó)

Cartografia e produção de mapas turísticos, com Rosana Silva de França (UFRN)

Sábado, 14
6 horas - Visitas técnicas aos geossítios dos municípios de Cerro Corá e Lagoa Nova

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Lagoa Nova credencia-se para "Supermatutão" da FNF

Lagoa Nova está entre as três cidades da região do Seridó que estão se credenciando para a disputa do torneio de seleções "Supermatutão", que será organizado e promovido pela Federação Norteriograndense de Futebol (FNF) entre 3 de novembro e 7 de dezembro deste ano. Durante o congresso  técnico ocorrido hoje, na sede da Federação, no bairro de Lagoa Nova em Natal, pelo menos 29 municípios apresentaram candidaturas para o  torneio, que será restrito a atletas com até 23 anos de idade. A ideia é que a limitação de idade permita a revelação de  novos talentos, informou o presidente da FNF, José Vanildo da Silva.

Além de Lagoa Nova, Caicó e Jardim de Piranhas são as cidades seridoenses que deverão  mandar seleções para a competição, que será disputada no sistema eliminatório de ida e volta. As cidades interessadas devem confirmar participação até segunda-feira (16), mas a inscrição vai depender das condições de infraestrutura de cada cidade, inclusive em relação a estádio de futebol. 

A partida da final da competição será transmitida, ao vivo, pela InterTV, afiliada da TV Globo no Rio Grande do Norte.

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Atletismo de Cerro Corá alcança resultados positivos em 2019

Atletas da AESC exibem medalhas conquistadas em competições da Federação de Atletismo do Rio Grande do Norte
A Federação Norteriograndense de Atletismo encerrou, no fim de semana, os campeonatos estaduais de 2019. Ao todo, foram cinco campeonatos. Professor de atletismo Edilson Oliveira informa que a Associação Esportiva, Social e Cultural (AESC) de Cerro Corá, em parceria com grupos de atletas de São Tomé e São Paulo do Potengi "deu um banho de conquistas", vencendo seis das dez competições que disputaram e foi vice em duas.

De acordo com dados da FNAt , a AESC obteve 149 pontos no atletismo feminino, ficando em primeiro lugar, enquanto no masculino, ficou em oitavo, com 23 pontos na pontuação geral. Os  resultados por faixa etária, foram os seguintes:

Sub 14
Masc - Campeão
Fem - vice

Sub 16
Masc - Campeão
Fem - Campeão

Sub 18
Fem - Campeão

Sub 20
Masc - vice campeão
Fem -  campeão

Adulto
Fem campeão



 

domingo, 8 de setembro de 2019

Sales Ezequiel passa a presidir PT em Cerro Corá

O Partido dos Trabalhadores (PT) de Cerro Corá elegeu, a exemplo de outros municípios do Rio Grande do Norte e do país, o diretório local da legenda, tendo como novo presidente o servidor público Francisco de Sales Ezequiel.

A eleição do diretório municipal. ocorreu pela manhã, no Palácio Lourival Libanio de Melo, sede da Câmara de vereadores. Os outros membros da Executiva do PT cerrocoraense são Francisco Sales de Lima, vice-presidente; Genilza Maria do Nascimento, secretária;  José Valdemir da Silva, secretário Financeiro; Geovana Keylla de Lira Freire, secretária de Organização e Alícia Carolyne Rocha dos Santos, secretária de Comunicação.

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Falece mãe e avó de vereadores cerrocoraenses

Viúva do agricultor Cláudio José de Maria, morreu nesta sexta-feira (06) em Cerro Corá, a senhora Maria do Carmo Gomes, conhecida como Maria de Cláudio, que era mãe do ex-vereador Manoel de Cláudio e avó do atual vereador Emanuel Gomes de Maria, o "Elzinho". O presidente da Câmara Municipal, vereador Rodolfo Guedes, em consonância com seus pares, transmitiu votos de pesar à todos os familiares e amigos em nome de todos que fazem o Poder Legislativo de Cerro Corá, decretando luto oficial de dois dias.

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Juíza extingue punibilidade de crime de calúnia contra a prefeita

A juíza Maria Nadja Bezerra Cavalcanti declarou extinta a punibilidade contra o cerrocoraense Francisco Canindé Alves de Lima, que é cambista de jogo do  bicho em Cerro Corá e teria sido denunciado por crime de calúnia contra a prefeita Maria das Graças de Oliveira (PSD). Analisando-se os autos, segundo a sentença judicial, verificou-se que "se operou a decadência do direito de queixa da suposta vítima em relação ao crime".

Com efeito, diz a sentença da juiza Maria Nadja Cavalcanti, o prazo de decadência é de seis meses para oferecimento de queixa-crime, contados da data em que o ofendido, ou seu representante legal, tomar ciência da autoria delitiva: "Assim, nos crimes de ação penal privada, o termo inicial do prazo de decadência é o dia em que o  ofendido veio a saber, inequivocamente, quem foi o autor do delito".

Nos autos consta, que, "ainda em se tratando de ação penal privada, a petição deve ser instruída ainda com procuração concedendo poderes específicos para o  ajuizamento da peça pelo advogado, sendo isto requisito essencial para o feito e sem o qual também se opera a decadência".

No caso dos autos,  verifica-se que tal ciência da autoria ocorreu em 04 de setembro de 2018, conforme narrativa do boletim de ocorrência na Policia. Porém, a parte autora, a prefeita Graça Oliveira, não cuidou em formular queixa-crime e anexar procuração com poderes específicos.

Também diz a sentença, que dessa forma, "verifica-se que o prazo de decadência atingiu o seu termo, mantendo-se a parte querelante inerte". A juíza salientou, ainda, que o prazo decadencial não se suspende, não se interrompe e nem se prorroga.

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Edilson Oliveira fala à InterTV sobre desempenho de atletas


Atletas de Cerro Corá, São Tomé e São P. do Potengi trazem 24 medalhas dos Juverns

As informações são do professor Edilson Oliveira, que o atletismo de Cerro Cora/São Tomé e São Paulo do Potengi brilhou na etapa estadual dos Juverns, os  Jogos da Juventude do Rio Grande do Norte. Com 29 atletas das três cidades, Oliveira disse que a representação  da AESC classificou oito atletas para a fase nacional dos Jogos da Juventude. Ao todo os atletas das três cidades abocanharam 24 medalhas nos Juverns, e contaram com a colaboração da prefeita de Cerro Corá, Maria das Graças Oliveira e do prefeito de São Tomé, Babá Pereira e do professor Jadson, da Escola São Francisco, em São Paulo do Potenti.
Os medalhistas de Cerro Corá representaram, por exemplo, a Escola Manoel Belmino dos Santos:  Brenna Munique, prata no 100 e 200 metros; Weslley Mesquita, ouro no tetratlo; Idalberto Lima, bronze no pentatlo, Pedrinho, quarto no peso.
Da Escola Estadual Querubina Silveira, destaques para Regiclécia Silva,ouro nos saltos triplo e distância; Bárbara Beatriz, ouro no lançamento de disco e prata no peso; Vinicius Daniel, bronze no salto triplo; Diogo Michael, prata no 110 metros com barreiras; Vitor Silva, prata no salto em altura e quarto no salto em distância; Anny Cecília, prata nos 100 metros com barreiras e bronze em distância.
Os destaques da Escola Municipal Sebastiana Alves Nôga foram Maria Rita, ouro nos 250 metros e prata no 75 e Hawan Oliveira, bronze, no lançamento de dardo.

Atletas de Cerro Corá, São Tomé e São Paulo do Potengi brilham nos Jogos da Juventude do Rio Grande do Norte
Da Cidade de São Tomé, os destaques foram da Escola Estadual Amaro Cavalcante: Dalbett Gabriel, ouro no 100 metros com barreiras; Jamilly Criistina, ouro nos 80 metros com barreiras;  Vinicius Moraes, bronze no salto triploe sexto em distância; Sthefanny, bronze no salto em altura; Clara Muniz, bronze no lançamento de dardo; Lair Neto, sétimo nos  100 metros rasos e quarto nos 110 metros com barreiras; Carlos Emanuel, sexto nos 400 metros rasos; Marcos Vinicius, quarto no lançamento de dardo e Hudson Uriel, prata no salto em altura. Outros destaques foramm
As escolas municipais de São Tomé também contribuiram com Lucas Miguel, bronze nos 110 metros rasos e quinto no salto triplo; José Augusto, quarto nos 75 metros e 250 metros.
O atleta de São Paulo do Potengi que obteve resultado positivo foi da Escola São Francisco: Erick Michel, ouro nos 75 metros raso.
Os atletas classificados para a etapa nacional são os seguintes:
Cerro Corá: 12 a 15 anos, Wesley Mesquita e Maria Rita; 15 a 15 anos,  Brenna Monique, Bárbara Beatriz e Riglecia Silva
São Tomé: Dalbett Gabriel e Jamily Cristina
São Paulo do Pitengi: Erick Michel


domingo, 1 de setembro de 2019

Flagrantes do encontro de cerrocoraenses na Fazenda Pituba

O "self" pelas lentes de Simone Santos (filha de Vanda e neta do saudoso Zé Preto), Tarcísio Lira, Valdir Julião, João Vilmar de Azevedo (em pé à esquerda), Ana Julião, Ana Vanessa Julião e Cássia de Quintino (sentadas) e Rogério Leandro, Carlos Canário, Terezinha Canário e Rodivan Barros (sentados à direita)



À direita de camisa azul estampada, agregou-se Luís Bezerra Júnior, o "Garrincha", que veio com a esposa diretamente de Brejinho, no Agreste potiguar, onde reside desde os anos 80.

Mais um flagrante da reunião no restaurante Tupi, em Goianinha

Em primeiro plano Rogério Leandro e João Vilmar fazem retrospectiva histórica da comunidade cerrocoraense

Em outra rodada Rodivan Barros, Valdir Julião e João Vilmar resgatam fatos do gentio cerrocoraense

Momento descontraído para Terezinha e Carlos Canário e Rogério Leandro

João Vimar (c) agradeceu presenças dos conterrâneos no restaurante Tupi

O engenheiro agrônomo João Vilmar de Azevedo recebeu o grupo de cerrocoraenses e conterrâneos em sua Fazenda Pituba, onde o seu filho João Henrique toca o Restaurante Tupi com a família, no município de Goianinha, na região Agreste do Rio Grande do Norte.

Para João Vilmar "foi um evento muito gratificante. Em número de dezesseis, tivemos a oportunidade de reviver bons momentos de uma velha amizade, colocar os assuntos em dia e desfrutarmos de um alegre convívio".

Na avaliação de João Vilmar "esses eventos são importantes, na medida em que permite a continuidade de laços fortes e sinceros de amizades".

João V. de Azevedo estimula a realização de uma série de encontros: "Estamos empenhados a dar sequência a esses fatos, iniciados lá em Cêrro Corá, por ocasião do 2° Encontro dos Veteranos, ocorrido recentemente, Festival de Inverno"

Azevedo prosseguiu, afirmando que já se descortinam ações para novos eventos: "Esperamos ir solidificando a ideia e angariando a participação de outros conterrâneos dispersos em localidades, por vezes distantes, mas que encontrarão oportunidade para um congraçamento harmonioso e construtivo aos nossos laços de amizade sincera".

Por fim, agradeceu a presença do grupo "Veteranos" de Cerro Corá. "Obrigado a todos que vieram ao nosso restaurante Tupi e a casa está às ordens para recebê-los novamente, com seus familiares e amigos".

Encontro de cerrocoraenses em Goianinha

Encontro dos "Veteranos" na Fazenda Pituba em Goianinha
Parte dos 67 membros do grupo de "zap" denominado "Veteranos de Cerro Corá" participou de uma 'audiência pública' no restaurante Tupi, situado na Fazenda Pituba, em Goianinha, a 65 quilômetros de Natal.

Os "Veteranos" já estão se mobilizando pra uma série de encontros em data móvel, que poderá a vir ser mensal ou bimensal, conforme a disponibilidade dos membros, alguns residentes em Cerro Corá e Natal e até mesmo fora do Rio Grande do Norte. A priori já está determinada uma data para o próximo encontro no dia 5 de outubro, que deverá ocorrer em Natal e em local a ser definido.

No flagrante fotográfico são vistos, da esquerda para a direita, Carlos Canário,  Rodivan de Oliveira Barros, Rogério Leandro, Luís Bezerra Junior, o "Garrincha";  Wellington Bezerra Jr, Valdir Julião, Tarcisio Lira, Túlio Libanio de Melo e o anfitrião João Vilmar de Azevedo.

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

População de Cerro Corá se mantém estável e Lagoa Nova cresce 0,9%

A estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) mostra que a variação da população de Cerro Corá se manteve estável entre 2018 e 2019, tendo crescido apenas um habitante entre um ano e outro. O município tinha 11.178 habitantes e pulou para 11.179.

Mesma coisa em relação a São Tomé, com a diferença de que esse município perdeu dois habitantes. São Tomé tinha 11.057 habitantes e caiu para 11.055. Segundo os dados do IBGE, a população de Santana do  Matos caiu 1,3% em um ano, passou de 12.954 para 12.791 pessoas. Também caiu o número de habitantes de Bodó, que tinha 2.250 pessoas e diminuiu para 2.223, uma queda de -1,2%.

Já o município de Currais Novos cresceu 0,3%, tinha 44.664 e foi a 44.786, enquanto a população de Lagoa Nova aumentou 0,9%, passando de 15.477 para 15.614 habitantes.

As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União para o cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013.

As populações dos municípios foram estimadas por procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos munícipios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010) e ajustadas. As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

O crescimento populacional do total do país, medido pela taxa geométrica de crescimento, foi de 0,79% ao ano, exprimindo queda do crescimento quando comparado ao período 2017/2018, conforme Projeção da População 2018.

Dos 5.570 municípios do país, 28,6% apresentaram redução populacional. Aproximadamente metade (49,6%) dos municípios tiveram crescimento entre zero e 1% e apenas 4,8% (266 municípios) apresentaram crescimento igual ou superior a 2%.

O grupo de municípios com até 20 mil habitantes apresentou, proporcionalmente, o maior número de municípios com redução populacional. Já no grupo de municípios entre 100 mil e um milhão de habitantes, está presente a maior proporção de municípios com crescimento superior a 1% ao ano. Os municípios com mais de um milhão de habitantes concentram crescimento entre zero e 1% ao ano.


Estimativa populacional
2018 2019 Variação %





Bodó
2250 2223 -1,2
Cerro Corá
11178 11179 0
Currais Novos
44664  44786 0,3
Lagoa Nova
15477 15614 0,9
Santana do Matos
12954 12791 -1,3
São Tomé
11057 11055 0





Fonte - IBGE


















































































































































terça-feira, 27 de agosto de 2019

Falece Cícero de "Seu Belo"

Cicero era filho do saudoso Belarmino Pereira
Aos 83 anos, faleceu na manhã desta terça-feira  (27) em Cerro Corá, Cícero Pereira de Araújo, conhecido como Cícero de Belo. A familia comunica que o velório do corpo ocorre em sua residência, na Rua Parelhas, número 26, no bairro Tancredo Neves. O sepultamento ocorrerá na manhã desta quarta (28), depois da com missa de corpo presente na capela de Nossa Senhora do Rosário, que começa às 7 horas, de onde sai o corpo para sepultamento no cemitério São João Batista.

Cícero Pereira tinha um pequeno comércio na feira livre da cidade e era filho de seu Belarmino Pereira. Entre os irmãos Berico, Joventino, Manoel, entre outros. Cícero Pereira de Araújo (*25/03/1936 / + 27/08/2019)"

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

"Valdinho" admite não concordar "com algumas atitudes" da gestão da Câmara

Vereador "Valdinho" renuncia vice-presidência da Casa

Embora informe à presidência da Câmara Municipal de Cerro Corá que renunciou ao cargo de vice-presidente da mesa por questão de foro íntimo, a decisão do vereador Valderi Joaquim Borges (DEM), o "Valdinho", vai mais além, pois admite divergências com a gestão atual: "Só não concordo com algumas atitudes".

Mais cedo, em sua conta na rede social Facebook, "Valdinho" agradecia  aos colegas vereadores, que lhe deram a oportunidade e confiança de elegê-lo duas vezes presidente da Câmara e vice por oito meses. "Procurei sempre cumprir o verdadeiro papel de vereador e de presidente ao qual me foi confiado, fiscalizando e defendendo o que é do povo, foi pra isso, que fui eleito", postou ele, às 9 horas desta segunda-feira (26).

No post, Borges disse que iria continuar sua luta "em defesa do povo, dos mais humildes e dos que realmente precisam do poder público".

Já no oficio encaminhado ao presidente da Câmara, vereador Rodolfo Guedes (PSDB), o vereador "Valdinho" disse que renunciava à função de vice-presidente da Casa, sem  que  isso prejudicasse suas atribuições como parlamentar, "inclusive nas Comissões em que venha a atuar ou se designado". Ele protocolou o ofício às 8:10.

Mesmo divergindo e sem detalhar quais atitudes administrativas não concorda, "Valdinho" informou que não há distanciamento político em relação ao grupo de oposição à prefeita Maria das Graças Oliveira (PSD): "O grupo continua,  apenas estou saindo da vice-presidência".

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Gorete Macedo fala que livro retrata trajetória literária e sindical de Zé Milanez

Gorete Macedo escreveu livro incentivada por amigos
A professora e assistente social Gorete Macedo lança o livro "José Milanez em prosa & versos", a partir das 16 horas deste sábado (24), restaurante Xukalho, no conjunto Flamboyant, em Neópolis. "A ideia foi de resgatar, registrar para preservar o trabalho literário e sindical de Zé Milanez", diz ela, a respeito da história do poeta, cordelista e violeiro, que por 14 anos presidiu o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Currais Novos, até ser assassinado por um desafeto politico num fim de tarde de 25 de  agosto de 1986.

Filha de Zé Milanez, a autora do livro diz que o biografado "era um homem que lutava por inclusão social, reforma agrária e pelo direito do trabalhador rural, Milanez teve sua voz silenciada, mas vive nos poemas que deixou".

Segundo ela, o livro sobre seu pai "era um antigo sonho, impulsionado pelos amigos e conhecidos que diziam, por que não escrever um livro sobre seu Ze Milanez. E assim, após idas e vindas, em 2017 comecei...."
O livro sobre Zé Milanez traz uma mini biografia dele em seis páginas, em outro capítulo a autora escreveu sobre o poeta lírico e repentista, depois vem outro sobre o sindicalista. Em seguida, a repercussão de sua morte e em outra parte, poetas falam do poeta. Por fim, depoimentos e homenagens, afora o prefácio, apresentação e posfácio.

Serviço
Data: 24 de agosto
Horário: 16 horas
Local: restaurante Xukalho, rua Prefeito Expedito Alves, 1524,
Flamboyant, Népolis/Capim Macio.

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Walter Olímpio assina manifesto municipalista


No decorrer das últimas duas semanas o blog tem publicado uma série de textos envolvendo a cidade na cobertura noticiosa dos jornais da capital nos anos 30/40.

Hoje pula ao começo da década de 60 e foca um conterrâneo que não seja vinculado à família Pereira, mas um amigo.

A edição dominical do semanário O Poti (2/7/1962) – jornal Associado no RN – trás o manifesto “Um municipalista para o parlamento nacional”, como apoio a suplência de senador ao industrial Fernando Pedrosa.

O documento é assinado, em 27/5, pelos prefeitos de 27 municípios, entre eles o de Cerro Corá, José Walter Olímpio.

Walter, na ocasião, era o quarto político a ocupar o cargo desde 11 de dezembro de 1953, quando novo município é instalado pelo coronel Severino Bezerra, que permanece na função até fevereiro de 1955.

Depois assume Sérvulo Pereira, o primeiro prefeito constitucional, eleito pelo voto direto em outubro do ano anterior.

Em seguida Benvenuto Pereira falece no cargo e assume o vice-prefeito Walter. Somente no começo da década seguinte, com a cassação do contador Manoel Antunes de Melo, assume outro vice, José Julião Neto.

(José Vanilson Julião – Jornalista)

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Livro sobre o violeiro José Milanez será lançado neste sábado (24)

Filha de "Zé Milanez", cerrocoraense morto por motivação política, é autora da obra

"José Milanez em prosa & verso" é o livro que está lançado, a partir das 16 horas deste sábado (24), no restaurante Xukalho, em Capim Macio. O livro foi  escrito por Gorete Macedo, filha do poeta popular, violeiro e corderlista, que foi assassinado em meados dos anos 80 por questões políticas, quando presidia o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Currais Novos, na região do Seridó, a 180 quilômetros de Natal.

Por ocasião do lançamento do livro, na rua prefeito Expedito Alves, 1524, no conjunto Flamboyant, haverá apresentação da banda "A Cor da Terra". 

Zé Milanez era contemporâneo de outro cordelista, já falecido, José Saldanha, que inclusive homenageou o colega com o poema "O poeta assassinado pela mão do destino", já relatado neste blog. 

Outra filha, Geni Milanez, fez uma poesia em homenagem a ele, também postada aqui: "25 anos de saudade e silêncio". Ela informou, inclusive, que a primeira viola usada por Zé Milanez, foi doada por seu tio materno, José Ribeiro, falecido em meados de 1970 e que por sinal era avô deste "blogueiro".

link
http://cerrocoranews.blogspot.com/2011/09/primeiro-violao-de-ze-milanez-foi.html

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Sepultamento de Lucila ocorrerá na manhã desta quarta-feira (21)

Lucila era viúva de Anísio, o sapateiro
O velório de Maria Lucila de Oliveira, que faleceu na madrugada desta terça-feira (20) em Natal, ocorrerá a partir das 19 horas desta terça-feira (20), no Centro Social Santa Zita, em Cerro Corá. O sepultamento ocorrerá às 8:30 desta quarta (21), após a missa de corpo presente, no Cemitério Público São João Batista. 

A Paróquia de São João Batista de Cerro Corá já havia emitido nota comunicando o falecimento de Lucila, que tinha 90 anos, e era viúva de Anísio, um dos sapateiros mais conhecidos da comunidade cerrocoraense e que residiu por muitos anos na rua Monsenhor Paulo Herôncio de Melo, centro, numa casa vizinha à residência do saudoso Joca Paz e onde, hoje, funciona a lanchonete de Jorge Lira.

Segundo a nota da Paróquia, dona Lucila foi uma das primeiras catequistas da paróquia e fez parte da Conferência Vicentina, quando esta funcionava em nossa paróquia.
"Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, mesmo que esteja morto, viverá; e quem vive e crê em Mim não morrerá eternamente." (Jo 11, 25)
Nossas orações e preces pelo seu descanso eterno!

Velório de João Nabor ocorrerá no cemitério Morada da Paz, em Emaús

João Nabor Guimarães ladeado pela família
O velório do  cerrocoraense João Nabor Guimarães de Melo, 72 anos, que faleceu na madrugada desta terça-feira (20) enquanto dormia em sua residência em Ponta Negra, Zona Sul de Natal, ocorrerá a partir das 7 horas desta quarta-feira (21), na Capela I do Cemitério Morada da Paz, em Emaús, Parnamirim. O corpo de João Nabor será cremado às 16:10, segundo obituário do site do Grupo Vila.

João Nabor era casado com Selma Soares, filha do casal Francisco Soares do  Nascimento e dona Luiza. Além de víúva, deixa duas filhas e um neto.

Nabor era filho do saudoso José Libanio de Melo e dona Libanita Guimarães, ambos falecidos. Ze Libanio era irmão do saudoso Lourival Libanio, enquanto Libanita era irmã de dona Teresinha Galvão, viúva do saudoso comerciante João Bezerra Galvão. Nabor era irmão de Jorge, serventuário aposentado da Caixa Econômica Federal (CEF), que reside atualmente em Currais Novos, mas mantém uma segunda residência em Cerro Corá e de Narriman Guimarães, que é funcionária da área de saúde pública do Estado e também José Newton, que reside em Brasília e veio a Natal para o velório do irmão.

Entre o fim dos anos 60 e começo dos anos 70, João Nabor migrou para São Paulo, onde se aposentou e depois voltou ao Rio Grande do Norte, passando a residir em Ponta Negra, onde instalou uma indústria de panificação e construiu imóveis de aluguel.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Carro incendiado em Cerro Corá pertence a Adevaldo Oliveira





Fiat Uno incendiado às 3h30 desta sexta-feira (16) no centro de Cerro Corá. A Polícia vai abrir investigações para averiguar se o caso é retaliação de grupo criminoso em virtude de recente ação policial, que resultou na prisão de assaltantes e morte de outro, no começo da semana, na zona rural do municipio.

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Sérvulo Pereira na imprensa potiguar V



Na morte do senador João Câmara emissora interrompe programação a pedido do líder distrital

José Vanilson Julião
Jornalista


João Câmara: morte provocou pedido inusitado de Sérvulo Pereira
Cerro Corá ainda era um simplório aglomerado de casario, mas uma situação inesperada demonstra o poder político do industrial Sérvulo Pereira de Araújo. O pedido dele a estação “Poti” – antiga Rádio Educadora de Natal, do famoso acrônimo REN – suspende a programação em homenagem ao senador potiguar João Severiano da Câmara (Taipu, 8/3/1895 – Natal, 12/12/1948). A emissora Associada, até então, era a única existente no Rio Grande do Norte. Somente entre 1954 é que são fundadas a Nordeste, pelo governador Dinarte de Medeiros Mariz, e a Cabugi, do senador Georgino Alves Avelino.

Na manhã e na tarde do domingo ensolarado foram mantidas as programações esportivas do dia. Primeiro, no turno matutino, a prévia da corrida de São Silvestre (classificatória para a prova de pedestrianismo organizada pela Gazeta Esportiva da capital paulista), vencida pelo atleta Francisco Canindé de Brito, o Pixe, também jogador abecedista e posteriormente americano. No vespertino a regata no estuário do Potengi. Mais o clássico do futebol, ABC 1 x 2 América, final do returno do campeonato estadual. Além de uma competição pelo transcurso da Semana do Marinheiro na Base Naval Almirante Ari Parreiras.

Naquele dia a cidade fora surpreendida com o repentino falecimento do conhecido agropecuarista, comerciante, industrial e político, eleito deputado e senador. Fazendeiro, criador de gado e plantador de algodão, exportador, que desempenhara papel fundamental na criação e desenvolvimento do município de Baixa Verde, sendo o primeiro prefeito.

Em outubro/34 é eleito para a Assembléia Constituinte do Rio Grande do Norte pelo Partido Popular (PP), sendo um dos signatários da constituição estadual de 1936. Com a implantação do Estado Novo, teve seu mandato extinto, em novembro de 1937. Redemocratizado o país elege-se senador em janeiro/47 pelo PSD (Partido Social Democrático, do qual foi um dos fundadores no RN.

Quando faleceu era um dos nomes cogitados para concorrer ao governo. O povoado de Matas chegou à condição de município pela Lei 697 (29/10/28) com o nome originário da localidade, Baixa Verde, desmembrado de Touros, Taipu e Lajes. Pela Lei 899 (19/11/53) passa a se chamar João Câmara.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Primórdios do futebol cerrocoraense I



Cerro Corá Futebol Clube derrota o Potengi Sport Club da vizinha São Tomé

José Vanilson Julião
Jornalista

O jornal diário católico A Ordem (terça-feira, 28/10/1948), como de costume, circulava com a página sete, “Desportos”, em seis colunas e caixa alta (letras maiúsculas).

Naquela data, logo abaixo, em cima, à direita, destaca o “olho”: - Futebol no interior do Estado. Com o título: - O “Cerro Corá F. C” vence brilhantemente ao “Potengi S. C”, de São Tomé, em confronto amistoso.

E assim começava o primeiro parágrafo da reportagem: - Como parte integrante dos festejos tradicionais do padroeiro realizou-se a 22 do corrente, em Cerro Corá, o intermunicipal...*

*São João Batista somente é escolhido padroeiro com a emancipação política do distrito de Currais Novos e depois município com a emancipação política em 1953 e conseqüente criação da paróquia local.


Súmula do jogo

Cerro Corá 1 x 0 Potengi

Árbitro: “doutor” José Bezerra de Araújo

Renda: Cr$ 1.268,00

Horário: 15h30

Gol: Nascimento

Cerro Corá: Ednor Pedro de Melo, José Walter Olímpio, Xavier, Carapicó, Toinho, João Nascimento (autor do gol), Divaldo, Ranulfo, Joãozinho e Diogo. Treinador: Edgar Pinheiro

Potengi: Agripino, Nilson, Cazuza, Segundo, Oscar, Ivanildo, Ademar, Alsair Pereira, Dedé, Zuza e Manoel. Treinador: João Gomes de Araújo

Sérvulo Pereira na imprensa potiguar IV


A movimentação e associados da cooperativa pioneira

José Vanilson Julião

Jornalista


Wilson Pereira de Araújo
Sete anos, sete meses e 21 dias após a fundação a Cooperativa Agropecuária de Cerro Corá Limitada está em plena atividade no verão de 46. Com o número de registro 607. Conta com 97 associados. Movimenta no exercício anual Cr$ 40.336,70.
Sérvulo Pereira, envolvido com o setor de mineração, passa o bastão para o irmão Manoel Wilson Pereira de Araújo (1918 – 1989), o diretor-presidente. Também mudara o gerente, assume Antonio Félix da Silva. João Abner Guimarães continua secretário. No Conselho José Azevedo ao lado de João Soares do Nascimento.
Conselho fiscal: Manuel Alves Nôga, Francisco Pereira (outro irmão de Sérvulo) e Severino Soares do Nascimento (parente de João) como efetivos. Suplentes – Manuel Bezerra da Costa (Manoel Doutor), Cícero Cândido de Medeiros e João Marinho Dantas.
Resumo do anúncio de página inteira em A Ordem (terça-feira, 24/12/46). Também relacionadas outras 11. Entre elas: Banco Rural/Currais Novos, Rural/Caicó, São José do Mipibu, Papari (Nísia Floresta), Ceará Mirim, São Tomé, Itaretama (Lages do Cabugi) e Açu.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Servulo Pereira na imprensa da capital potiguar (III)

O surgimento da primeira cooperativa agropecuária
José Vanilson Julião
Jornalista
Na quarta página do diário vespertino católico A Ordem (sexta-feira, 30/4/1939) uma das notícias em destaque é a fundação da primeira cooperativa agropecuária de Cerro Corá, então distrito de Currais Novos.
A notícia é repetida na primeira página da edição da quarta-feira, 3/5, dia da fundação oficial, com detalhes dois dias depois como manchete secundária de capa, revelando o merecido destaque da iniciativa do empreendedorismo local.
A solenidade acontece no final da tarde. Numa escolar rudimentar. São eleitos por aclamação para o conselho administrativo: Sérvulo Pereira (presidente), João Soares do Nascimento (vice), Álvaro Fragoso de Albuquerque (gerente) e João Abner Guimarães (secretário).
Conselho fiscal: Franco e Manoel Soares do Nascimento e Miguel Olímpio (efetivos), Sebastião Batista de Morais, João Plácido de Lira (Joca Paz) e João Soares de Lemos (suplentes).
Na época o RN tinha 42 municípios (não 28 como foi dito anteriormente). Das cinco últimas cooperativas criadas a de Cerro Corá fora a que alcançou maior capital. Do mínimo de cinco contos de reis – a moeda vigente até a implantação do cruzeiro em 1942 – foram subscritas cotas de 11:120$00 e integralizadas imediatamente 6:080$000.
De jóia foram recolhidas 200$000. Por antecipação o menino Francisco Henrique Gomes, filho de Adolfo Henrique Gomes, proprietário de “Catolé”, fez logo depósito de 1:000$000
Interventor Rafael Fernandes prestigiou fundação de cooperativa cerrocoraense no fim da década de 30
Na ocasião o interventor federal Rafael Fernandes Gurjão anuncia investimentos. Dois contos no auxílio para instalação e empréstimo de dez contos sem juros e prazo de cinco anos com o fim de re-empresto aos associados com juro de seis por cento ao ano.
Os cooperativados, diz o noticiário, já organizara uma sede “decente e vistosa com artística placa na fachada”, tendo interiormente os móveis necessários ao funcionamento, inclusive cofres, balcão e secretaria.
O jornalista Eloy de Souza, do diário A República (imprensa oficial) discursa e homenageia a memória de Heraclito Vilar, pioneiro do cooperativismo no Rio Grande do Norte.
Presenças de Aldo Fernandes (secretário geral do Estado), Dioclécio Duarte (diretor do Departamento de Agricultura e presidente da Comissão ao Cooperativismo), Ribeiro Carvalho (inspetor do Serviço de Fomento Animal), Francisco Coutinho (inspetor agrícola federal), capitão José Bezerra (ajudante de ordens) e Miguel Ferreira Neto (gerente da Caixa Rural) e Oscar Siqueira (chefe de Polícia).
Mais os professores Ulisses de Góis e Otto de Brito Guerra – além de Francisco Veras Bezerra. O trio envolvido com o cooperativismo e a Caixa Rural e Operária de Natal, também faz parte da direção e da redação da imprensa ligado a Igreja.
Ainda Asclepíades Fernandes (prefeito de Santana dos Matos, José Bezerra de Araújo (prefeito de Currais Novos), agropecuarista e comerciante Othon Osório e Aproniano Pereira.

Sérvulo Pereira na imprensa da capital potiguar (II)

O minerador faz propaganda promocional e empresarial
José Vanilson Julião
Jornalista
Na edição dominical (18/9/1948) o Diário de Natal trás anúncio de quase meia página – um clichê sem fotos, como era comum naquele tempo face às deficiências técnicas da impressão em linotipo -, encimado com letras garrafais “Servulo Pereira”.
A propaganda no Associado detalha que o industrial curraisnovense radicado com a família no distrito de Cerro Corá, desde o começo do século XX, quando o pequeno aglomerado de casario denominava-se Barro Vermelho e posteriormente Caraúbas, dedica-se, à “extração e exportação de minérios”.
A publicidade promocional e institucional do nome do personagem político e empresarial tem a informação sobre a atividade comercial, como o endereço telegráfico “Bodó” – enfatizado na língua inglesa (“cable adress”), Caixa postal 229, Travessa Equador, 95, Natal.
Por fim o “reclame” indica que Pereira é o concessionário das jazidas de scheelita “Bodó”, “Malhada”, “Baixios” e da mina de ouro “São Francisco”.
Duas das minas ficam no município de Santana dos Matos (Bodó hoje é emancipado). A “Malhada Limpa” fica no município de Currais Novos, já próximo ao municipio paraibano de Frei Martinho..

domingo, 11 de agosto de 2019

Sérvulo Pereira na imprensa da capital potiguar (I)

Industrial do setor de extração de xilita, tentou ser prefeito de Currais Novos

José Vanilson Julião 
Jornalista

Servulo Pereira também militou na política curraisnovense

O industrial Sérvulo Pereira de Araújo, filho do patriarca Tomaz – nome da praça no centro da cidade – foi candidato a prefeito no município de Currais Novos na eleição de 21 de março de 1948, a primeira pós o Estado Novo do presidente-ditador gaúcho Getúlio Dorneles Vargas, pós a redemocratização de dois anos antes.
A lista dos prováveis candidatos nos então 28 municípios do Rio Grande do Norte é alvo de especulação na primeira página do “Diário de Natal” – órgão Associado potiguar, com complemento na segunda página, de um total de 12, do à época jornal vespertino. O adversário do líder empresarial – do ramo de mineração – seria Alcindo Gomes de Melo.
Na edição dominical (11/1) o DN aponta Pereira, filiado a União Democrática Nacional (UDN), cabeça de chapa numa coligação, e o adversário Gomes pelo PSD – agremiação social democrática, siglas surgidas (eram 13 até o golpe de 64, com a derrocada do antigo regime Vargas.
Mas quem acaba eleito mesmo, para o mandato de cinco anos, é o agrônomo Sílvio Bezerra de Melo, também udenista, que saiu em 31 de janeiro de 1953. Era filho do desembargador Tomás Salustino.
Alcindo ocupara o Poder Executivo entre 46 e 47 nomeado pelo interventor federal Ubaldo Bezerra de Melo (não eram parentes)
Entretanto uma das primeiras referencia de Sérvulo na imprensa é encontrada numa pequena nota na seção “Pelos Municípios” referente a Santana do Matos: - Hospedamos por alguns dias Clóvis Pereira, sócio da firma comercial Sérvulo Pereira & Companhia e diretor da "philarmonica" de Cerro Corá, próspera e florescente povoação de Currais Novos.
A referida citação é encontrada na página dois do também vespertino a “A Ordem” (sexta-feira, 21/8/1936. O jornal católico, que circulava com quatro páginas e tinha assinantes no interior, entrara em circulação na última semana da primeira quinzena de julho do ano anterior.

sábado, 3 de agosto de 2019

Veteranos de Cerro Corá reunidos no Festival de Inverno


Saguão da Casa Grande - camisas patrocinadas pela empresa de confecções Del Rayssa, capitaneada pelos empresários Fátima e Francisco Menezes. Pela ordem, em pé, da esquerda para a direita: Maria da Luz, Ivonise, Chico de Rita, Nélia, Léo Lira, Wellington Júnior, Jorge Lira, Zé Canário, Cássia. Sentados, da esquerda para a direita: Rogério Leandro, Tico Hipólito, Giácomo Canário, Valdir Julião, Zé Brasil, Tarcísio Lira, Carlos Canário, Terezinha Canário e o dj Aildo.

Avenida São João e ao fundo a torre da Igreja matriz.

Clássica foto nos degraus da prefeitura

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Festival de Inverno tem largada hoje

Mais longevo evento turístico, cultural e gastronômico do interior do Rio Grande do Norte, o Festival de Inverno de Cerro Corá vai para a sua 17ª edição neste primeiro fim de semana de agosto. "A nossa expectativa é das melhores, porque a cada ano aumenta o fluxo de visitantes", diz a prefeita Maria das Graças Oliveira, a respeito da possibilidade da cidade dobrar o número de turistas e de cerrocoraenses que voltam à cidade para rever amigos e parentes, oriundos de Natal, cidades vizinhas e até de fora do Estado.
A prefeita Graça Oliveira disse esperar que neste Festival o público ultrapasse os 10 mil visitantes, que foi o número de pessoas que passaram pelo evento no ano passado. Ela exaltou a necessidade de que "as belezas naturais do município precisam ser mais exploradas", dai a homenagem ao Geoparque e às nascentes do rio Potengi, que vai desaguar na capital do Estado.
Outro atrativo é o clima do município, que tem 11.178 habitantes segundo estimativa populacional de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A cidade situa-se a 575 metros acima do nível do mar, na micorregião da Serra de Santana, com acesso pela BR-226 e a 190 quilômetros. O Centro de Pesquisas do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), vinculado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), prevê que no fim de semana, a variação do clima na cidade é de 18 graus, a mínima e de 28º a máxima, com 5% de probabilidade de chuvas, o que ja está ocorrendo no momento..
O tema do 17º Festival de Inverno em Cerro Corá que começa nesta hoje e vai até domingo (04), alude ao "Geoparque do Seridó - onde nasce o Potengi, de vales, sossegos e encantos. Já a partir das 18:30 desta sexta (02) iniciam-se as apresentações do poeta cordelista "Lamparina" e em seguida apresentação do grupo "Tradição Nordeste", que homenageará as nascentes do rio Potengi.
A abertura oficial está programada para as 18:50, com a apresentação das escolas e pontos turísticos e entrega de comendas a homenageados. Por fim, haverá apresentação da Banda Filarmônica de São Tomé, cidade a 35 quilômetros de Cerro Corá, na região do Potengi.
No sábado (03), o Festival de Inverno recomeça às 18:30 com apresentação da charanga "Encantos do Sertão" e de violeiros da região do Seridó, em seguida apresenta-se o grupo de dança "Balé do Cern Grupo Livre, Xote das Meninas por mil anos (balé, Jarllen Palmeira). Na sequência, apresentação do grupo teatral "Serrano", com a peça alusiva ao tema do evento. Finalmente, haverá show da quadrilha junina "Tradição Nordeste" e da Orquestra Sanfônica de Parelhas.
Já na manhã do domingo (04), último dia do Festival de Inverno, haverá a 1ª Corrida de Jegues, saindo do parque de vaquejada Ana Cecília, na comunidade de Várzea dos Félix, para a zona urbana, com premiação de R$ 150,00 para o primeiro colocado; R$ 100,00 para o segundo e R$ 50,00 para o terceiro, todos também ganharão troféus e, em seguida, ocorre cavalgada.
Às 16 horas ocorre a abertura da "Feirinha de Artesanato", organizada pelo projeto "Criativo", com proposição da artesã Tânia Belotto, em parceria com a Associação Cultural Trapiá, sediada em Caicó. Em seguida, tem a apresentação da "Dança da boneca Maria Preta", com o mamulengueiro Emanoel Bonequeiro, seguido de declamação de cordéis, shows de artistas locais e espetáculo "Chico Jararaca", no antigo Cine Canário.
O Festival de Inverno mantém a sua característica desde que foi criado, em 2002, pelo então prefeito João Batista de Melo Filho, com a apresentação de artistas de repertórios ecléticos, “retrô” e “flash-backs”, que vão desde o rock, Jovem Guarda, MPB, brega, samba e o tradicional gênero musical Nordeste - o forró, para gosto de todos os públicos e gerações.

Atrações musicais

Sexta, 02
Mastruz com Leite
Feras
The Ritornelos
Clau Viana

Sábado, 03
Amazan
Isac Galvão
Uskaravelho
John Elton
Raynel Guedes

Domingo, 04
Giovani Soares
Franciélio Silva
Giulian Monte
Gegê Félix

Fonte - PMCC

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Medalha Marcílio Canário será entregue a quadrilheiros juninos de Natal

A valorização da cultura nordestina e o reconhecimento aos grupos e pessoas que realizam quadrilhas e festejos juninos em Natal será tema da sessão solene a ser realizada nesta sexta (02), pelo vereador Paulinho Freire, na Câmara Municipal de Natal.

Criada no mandato da vereadora Eudiane Macêdo, hoje deputada estadual, a comenda "Marcílio Canário" é uma homenagem a homens e mulheres, famílias, grupos de amigos e comunidades inteiras que se unem em torno de uma paixão em comum: as quadrilhas juninas.

"A entrega da comenda "Marcílio Canário" a várias personalidades ligadas a temática junina é uma forma desta casa legislativa homenagear e reconhecer o trabalho desenvolvido em prol dessa que é uma das mais genuinas formas de  arte da nossa cultura popular", explicou Paulinho.

Marcílio Canário de Brito, foi fundador, em 1981, do Arraiá Barauê, e revolucionou ao criar a quadrilha estilizada, onde no meio de muitas ideias, figurinos eram trocados durante as apresentações e o teatro foi introduzido à essa arte do dançar.  

Marcilio Canárío já é falecido e era filho dos cerrocoraenses João Canário de Brito e Olivia.