terça-feira, 7 de julho de 2020

Leonardo Félix, filho de "Títico", despede-se da revista "Quatro Rodas"

Leonardo Félix (d) ao lado do pai, o saudoso "Titico de Chico Félix" (Foto - reprodução Facebook)
"Sonhos têm começo e fim. O meu de representar a "Quatro Rodas" acabou neste 7 de julho. Uma notícia plangente, claro, mas prefiro me apegar às coisas boas", o tom de despedida é do jornalista Leonardo Félix, filho do falecido "Títico Félix", que está deixando a revista mais antiga e importante de autos do país, publicada pela editora Abril, de São Paulo.

Leonardo Félix ainda disse: "Sei que consegui cumprir o desafio proposto pelo Zeca Chaves a mim lá no fim de 2018. Os números não deixam mentir: audiência do site mais que dobrada do começo de 2019 para o começo de 20 (antes do corona e da brusca redução da equipe), número de inscritos no YouTube também dobrado, crescimento de quase 200.000 seguidores no Instagram e o título de melhor site automotivo do Brasil em votação dos colegas (a quem agradeço enormemente o prestígio)".

Felix também declarou em sua página no Facebook, sentir muito orgulho de sua jornada na edição "on line" da revista, "por mais que tenha sido mais breve do que eu poderia imaginar". Ele acrescentou: "E me sinto bem-aventurado por ter feito tantos novos amigos: PCG, Henrique Rodriguez, Gabriel Aguiar, Fernando Pires, Fabio Paiva, Daniel Telles, Renan Bandeira Eduardo, Leonardo Barboza e Eduardo Campilongo Filho, além do próprio Zeca, claro. Vocês todos estão aqui no <3".

Finalmente, Leonardo Félix, que nasceu em Londrina (PR), onde seu pai faleceu, disse que vai tirar "alguns dias de descanso após dois anos sem férias, mas a intenção é voltar logo para a ativa. Ainda há novos sonhos prestes a começar".

Luciano Santos sanciona lei que fixa subsídios de vereadores


O prefeito de Lagoa Nova, Luciano Santos (MDB), sancionou lei que fixa em R$ 7,5 mil os subsídios dos vereadores para a legislatura de 2021/2024. Em face da lei federal 173/2020, que trata do socorro financeiro a estado e municípios por causa da queda de arrecadação devido a pandemia de coronavírus, o subsídio do vereador vigente em 2020, fica congelado ate o fim de 2021 e somente a partir de janeiro de 2022 entra em vigor o novo valor da remuneração dos vereadores lagoanovenses. A lei foi publicada no "Diário Oficial dos Municípios" desta terça-feira (7)

domingo, 5 de julho de 2020

"O coração dele vai doer, saber que botei um amigo e vai tirar um amigo"

Vereador Aldo Maciel (PSD)
Além de confiar  no apoio do presidente da Câmara Municipal, vereador Rodolfo Guedes (Republicanos, o ex-prefeito Raimundo Marcelino Borges também faz apelo político e de amizade ao vereador Francisco Aldo Maciel (PSD), o "Aldin", a fim de ter os seis votos necessários contra o parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que é pela reprovação das contas de 2009, que tem votação prevista para 17 deste mês: "Tenho certeza de que na hora de uma decisão dessa, por mais que esteja alguém fazendo a cabeça dele, tenho certeza que o coração dele vai doer, vai saber que já botei um amigo na política e agora vai tirar um amigo".

O ex-prefeito "Novinho" referiu-se ainda, na "live" da tarde de sábado (4), ao fato de que compreendeu a ruptura política às vésperas da campanha eleitoral de 2016, quando ele apoiou o ex-prefeito João Batista de Melo Filho para sucedê-lo no cargo, ocasião em que a atual prefeita Maria das Graças Oliveira (PSD) terminou ganhando a eleição por 134 votos de maioria.

"Eu sei que "Aldin" teve de tomar outro destino à época,  porque não era o cara tão simpático com João e ele me disse, eu não tenho condições de apoia-lo e foi apoiar Graça e aceitei o posicionamento dele", destacou "Novinho", que acrescentou: "Mas sempre ele foi meu amigo, Aldin quem o botou na política, ele  sabe disse, que fui eu".

Borges ainda ressaltou: "Nunca o vereador "Aldin", sou eu que estou dizendo, não vai ter raiva disso, dele subir os batentes da Prefeitura com um eleitor e de não recebido ele. Sempre fui aquela pessoa que valorizei o vereador "Aldin".

"Novinho" faz apelo político e de amizade ao presidente da Câmara Municipal


O ex-prefeito Raimundo Marcelino Borges admitiu na “live” do Facebook que erros técnicos e contábeis são as razões para a desaprovação de suas contas no Tribunal de Contas do Estado (TCE), mas ele acredita que, politicamente, e em função de amizades com vereadores, inclusive dois ex-aliados políticos, possam ser que as contas sejam aprovadas na Câmara Municipal.


“Confio muito no presidente da Câmara, apesar de que estamos distanciados politicamente, mas a nossa amizade ainda permanece”, declarou “Novinho”, em relação ao vereador Rodolfo Guedes (Republicanos): “O presidente da Câmara sempre foi uma pessoa aqui de casa, a candidatura à presidência da Câmara nasceu aqui dentro de casa, ele sabe disso”.


“Novinho” ainda reitirou: “Na época em que fui prefeito sempre fomos amigos, sempre esteve aqui em casa e ainda continua a nossa amizade. Acredito que jamais ele vai me penalizar a uma pessoa que sempre fez o bem a ele”.