domingo, 13 de fevereiro de 2022

Sem evento há dois anos, expectativa por volta do Festival de Inverno

Prato mais requisitado no Festival de Inverno tinha
mãos parceiras de Arian Félix e "Júnior Pintado".

Em decorrência da pandemia de coronavírus, Cerro Corá deixou de realizar dois Festivais de Invernos, em 2020 e 2021. Aínda existe a expectativa dos frequentadores - nativos, turistas e cerroraenses residentes em outras cidades do Rio Grande do Norte e fora do Estado,  que aproveitam o evento para rever conterrâneos, amigos e parentes sobre a sua realização este ano, caso ocorra um resfriamento na transmissão do Covid-19. 

Além do clima agradável e do calor humano proporcionado pelo contato entre visitantes e anfitriões, a gastronomia é sempre um prato cheio nas conversas das pessoas que circulam em meios a centenas de mesas postadas na praça Tomaz Pereira e na avenida São João e ruas Sérvulo Pereira e Monsenhor Paulo Herôncio de Melo enquanto apreciam os shows artísticos.

Com uma gastronomia diversificada, um dos pratos mais apreciados no Festival de Inverno de Cerro Corá, que este ano irá para a sua 19a. edição, caso se confirme, era a "carne de sol na telha", uma marca registrada do estande de Arian Félix.

O servidor público municipal José Edson da Silva, mais conhecido em Cerro Corá por "Júnior Pintado", diz que a "carne de sol na telha" foi o "carro chefe" da culinária do Festival de Inverno até 2016, quando o estande deixou de ser montado e se encerrou a parceria dele com Arian por razões externas, que o blog contará posteriormente.

Segundo "Júnior Pintado", no primeiro Festival em 2003,  saíram 25 pratos, mas no ano seguinte o número de pedidos saltou para 235. O recorde é de 365.

"Era a primeira coisa que políticos, como o senador Garibaldi Filho, que vinham e pediam  quando sentavam à mesa", relembra "Pintado", que continuou: "Nenhum prato era mais vendido que esse aí não!"

O segredo do prato, orgulha-se José E. da Silva, "é o  corte da carne, o resto sou eu e seu Arian, a gente não passa pra ninguém não".




5 comentários:

Elias Dantas disse...

Vai ser especial o retorno desse evento tão importante para o município

Edivaldo virgem disse...

Se Deus quiser vai voltar, me viciei nessa festa

Unknown disse...

Uma simples dica, para os Organizadores da "Festa", na minha modesta opinião "O Festival de Inverno", a um Bom tempo, DEIXOU de ser uma festa Cultural e passou a SER uma Festa de Rua!
Essa é minha dica para os "Futuros Organizadores"! Quantidade de Bandas NÃO É QUALIDADE.

Anônimo disse...

Já tem a data definida para o evento?

Anônimo disse...

Qualidade da banda é fundamental pro volta desse festival importante da cidade
Banda boa é essencial pra retornar da festa