domingo, 22 de fevereiro de 2015

Plano de Saneamento de Galinhos pode ser exemplo pra outros municípios

Parte dos 167 municípios potiguares ainda faltam publicar, no "Diário Oficial dos Municípios" ou mesmo no "Diário Oficial do Estado", o Plano Municipal de Saneamento Básico. Alguns municípios já sairam na frente e que pode servir de exemplo para outros prefeitos, como foi o caso de Galinhos, cujo projeto saiu na edição de 10 de fevereiro do  "D.O.M", levando em conta cenários de evolução das necessidades futuras com relação ao abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e limpeza pública e manejo das águas pluviais e drenagem urbana. O projeto considera, atualmente, uma população não flutuante de 2.287 pessoas, pois Galinhos é um municipio litorâneo que recebe, principalmente durante o verão, muitos visitantes que vão conhecer suas praias parasidíacas. Assim, a população flutuante de Galinhos para este ano é estimada em  3.831 pessoas.

De acordo com o projeto, 50% da população rural de Galinhos habita o distrito de Galos, que tem 50% de sua área ocupada pelo assentamento rural Pirangi. Quanto a população flutuante, 75% visita a sede do município, Galinhos, enquanto 25% fica em Galos. O plano prevê, ainda em 2015, 300 ligações de redes de distribuição de água e esgotos na cidade e 104 em Galos. O projeto ainda prevê que só este ano, a produção anual de residuos sólidos deve chegar  1.001,49 toneladas/ per capita, enquanto o acumulado vai a uma geração per capita de 2.973,53 toneladas. 

Segundo o projeto, os pontos fortes do município são que, aproximadamente, 92% dos jovens entre 15 e 24 anos são alfabetizados, a taxa de mortalidade é 0 em crianças menores de 1 ano de idade e 98% dos moradores urbanos contam com serviço de coleta de resíduos. A principal fonte de renda do Município é o turismo, que gera recursos/riquezas estimados em 5 milhões/ano.

Já os pontos fracos são os seguintes: mais da metade da população de Galinhos (56%) está abaixo da linha de pobreza; o Plano Diretor, o Programa Habitacional, o conselho Municipal de Meio ambiente e os Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário são inexistentes no Município. que é atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) que somente dispõe de atenção básica, enquanto somente 57,6% do Município é urbanizado.

http://www.diariomunicipal.com.br/femurn/materia/899535
http://www.diariomunicipal.com.br/femurn/materia/899561

2 comentários:

Ionas Araujo disse...

A Prefeitura de Galinhos apesar de ser uma município territorialmente pequeno, tem procurado administrativamente enfrentar e solucionar esse que é um dos grandes problemas existentes na maioria das cidades do Brasil. O título da matéria foi brilhante, por convocar os demais municípios para trilhar o mesmo caminho do Poder Executivo de Galinhos visando exterminar um problema crônico, antigo, grave e desumano, vez que afeta inclusive a dignidade humana. Afinal os "BONS EXEMPLOS" são para serem seguidos.

José Valdir Julião disse...

E dizem, que dinheiro não vai faltar pra saneamento básico, na esfera federal...