quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Memória Política 3: abertura de campanha da eleição municipal 1976

Primeiro comício da campanha eleitoral de 1976: José Julião Neto foi candidato a prefeito. Ao lado dele,  o então vereador Lourival Bezerra discursando de microfone em punho. À direta, o "majó" Theodorico Bezerra, que na época era deputado estadual. Atrás do  "majó", o Assis Guedes e acredito que essa de óculos seja Maria de Rita, atrás dela Severino Seridó, fumando seu cigarrinho. Por trás de Zé Julião e Lourival Bezerra, acredito que é o saudoso Da Matinha, o João da Mata Toscano de Florânia,. De lado do vereador, Sérvulo Pereira de Araújo e por trás deste o padre Edson Monteiro, de Santana do  Matos (de óculos e chapéu). Entre o "majó" e Zé Julião, ainda dá para ver o cucuruto do então prefeito Francisco Pereira de Araújo, o "Pereirão".O palanque improvisado no caminhão, foi em frente a travessa do mercado público municipal, ao meio-dia, numa feira livre de domingo.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Maia e Alves disputam maioria dos votos para deputado federal

A evolução dos votos dos candidatos a deputados estaduais mais votados em Cerro Corá, nas três últimas eleições gerais no Rio Grande do Norte, foi postada logo abaixo. Agora, o blog resgata aos números dos candidatos a deputado federal mais votados nos pleitos eleitorais de 1998, 2002 e 2006  no município, tendo de se considerar o crescimento do contingente eleitoral de uma eleição para outra.
Em 1998, os candidatos à Câmara Federal mais votados foram Iberê Ferreira de Souza, com 712 sufrágios, seguido de Múcio Sá, com 533 votos, seguido de Augusto Viveiros, com 484 e Francisco Urbano, 475 votos. Depois vieram os irmãos gêmeos Ana Catarina Alves e Henrique Eduardo Alves, com 335 e 263 votos respectivamente. Desses, apenas Henrique Eduardo Alves segue candidato para assumir o 11º mandato na Câmara dos Deputados, como o mais antigo da Casa. Pressupõe-se que este ano seja o mais votado em Cerro Corá, depois que passou a ter o  apoio do ex-prefeito João Batista de Melo Filho.
Já em 2002, com o apoio de "Joãozinho", o candidato a federal mais votado foi o atual candidato à reeleição para o governo, Iberê Ferreira de Souza, com 2.387 votos. Na sequência, tivemos Ney Lopes de Souza, com 549 votos, Lavoisier Maia, com 449 e Nélio Dias, 341, além de Betinho Rosado, com 229 sufrágios. Nenhum desses é candidato em 2010.
Na eleição de 2006, já com o apoio do então vice-prefeito e atual prefeito "Novinho", o federal mais votado foi Felipe Maia, com 1.260 votos, que nas eleições deste ano, pode disputar a condição de mais votado com Henrique Eduardo Alves, que há quatro anos conseguiu 1.176 votos em Cerro Corá, quando "Joãozinho" o substituiu por Iberê, que havia se elegido vice-governador do Estado na chapa encabeçada por Wilma de Faria.
O terceiro candidato a deputado federal mais votado em 2006, em Cerro Corá, foi Rogério Marinho, que tenta a reeleição este ano, com o apoio do presidente da Câmara, vereador Antonio Ronaldo Vilar. A deputada Sandra Rosado obteve, naquela ocasião, 724 votos, com o apoio de Ana Maria da Silva.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Memória do futebol 3: outra formação do Cerro Corá Club

Nesta segunda formação do Cerro Corá Club temos, em pé e da esquerda para a direita: Galego de Passarinho, Chico Canário, Ednor, o goleiro não consegui identificar, Toinho Soldado e o lateral ao lado dele, obviamente, não tem como identificar. Agachados, da esquerda para a direita: Arian Félix,  em seguida, preciso de uma comprovação, é Nascimento, pai de nosso conterrâneo João Wilker, os outros na sequência também não conheço e por fim, o saudoso Neneco, que é irmão de dona Maria Flor, mãe de Itamar, Ilza e Ivan.

domingo, 26 de setembro de 2010

Lideres políticos dividos no apoio a candidatos a deputado estadual

A tabela seguinte mostra a evolução de votos de alguns candidatos em Cerro Corá, tirando como partida o pleito eleitoral de 1998. De lá para cá, alguns deputado não foram votados, deixaram de ser eleitos ou não receberam votos nas eleições subsquentes no município.

O blog faz questão de destacar que o candidato a deputado estadual estadual José Adécio (DEM), depois que passou a ter o apoio do atual prefeito Raimundo Marcelino Borges (DEM), o "Novinho", foi crescendo a sua votação no município, com uma pequena variação a menos na eleição de quatro anos atrás.  Como "Novinho" está no poder, supõe-se que Adécio poderá ser um dos mais votados este ano.

Também tem de ser considerado que o médico Neto Correia, não é candidato este ano, mas em todas as vezes que disputou o pleito proporcional foi o mais votado com o apoio do ex-prefeito João Batista de Melo Filho. Daí, é de se prever que Walter Alves (PMDB) passe a ser o candidato a deputado estadual mais votado em Cerro Corá, em decorrência do apoio que passou a receber de "Joãozinho".

Deste quadro abaixo  (número de votos e percentual de votos válidos), a expectativa é sobre o desempenho da deputada Márcia Maia (PSB), que vem alcançando votação considerável no município, com o apoio de parte da família Pereira. 

Em relação ao apoio do grupo liderado por Ana Maria da Silva, a deputada Larissa Rosado (PSB) já não tem o seu apoio, agora dado a George Soares, filho do ex-prefeito do Assu e ex-deputado Ronaldo Soares (PR).

Othon Militão apoia
ex-prefeito de Santa Cruz
A expectativa é quanto a votação de Luiz Antonio de Farias (PPS), o "Tomba", que este ano tem o apoio do presidente municipal do PPS, Oton Militão e do vereador Evilásio Bezerra, que há quatro anos apoiaram Wober Júnior para deputado estadual e lhe deram 616 votos. Wober Júnior agora tem apoio dos dois para deputado federal. 

Uma incógnita também é a votação do candidato Dibson Nasser (PSDB), que tem o apoio de alguns vereadores, liderados pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Antonio Ronaldo Vilar (PSDB). Por fora, corre a deputada Gesane Marinho  (PMN), com o apoio da vereadora Maria das Graças Medeiros (PMN) e o deputado Nelter Queiroz (PMDB), que sempre belisca uns votos e tem o apoio do vereador Manoel de  Cláudio (PMDB).


Eleição de deputado estadual

Candidato
1998
%
2002
%
2006
%
José Adécio
17
0,46
569
10,74
576
9,83
Márcia Maia
513
13,94
487
9,19
547
9,34
Walter Alves
-
-


207
3,53
Nelter Queiroz
205
5,57
138
2,60
123
2,10
Nelson Freire
552
15,0




Larissa Rosado


40
0,75
607
10,36
Neto Correia
529
14,37
1.815
34,28
1.092
18,65
José Lins
459
12,47
132
2,49


Ezequiel Ferreira
550
14,94
463
8,74
84
1,43

Fonte - TRE

Memória do Futebol 2: Cerro Corá Club, antecedeu o GPK


Cerro Corá Club, esse time aí, certamente, é do começo dos anos 60, com a camisa branca e faixa horizontal verde. Em pé, da esquerda para a direita: Sebastião Canário (de boné), Ednor Pedro de Melo, o goleiro não identifiquei, Chico Canário, Marconio Galvao por trás, Galego de Passarinho, Francisco das Chagas Melo, o cartola José Julião Neto e acredito que, ao lado deste, Baié, irmão de Mario Brasil. Agachados: Arian Félix,  Mario Brasil, Neneco. Toinho Soldado. Os dois últimos também não consegui identificar.

Memória do futebol 1: O GPK com uma de suas primeiras formações...

Em pé à esquerda, o treinador Rubenito, de Currais Novos, onde mora até hoje. Depois temos Dé  Mulato, Luizinho, Imagem, Corá, Manoel Alemão e seu primo, Dedé Garcia, como goleiro. Agachados, China, Pedrinho de Zuza Passo, Mifita, Dota e Moura, irmão de China. Luizinho, Corá, Manoel Alemão e Dota são de Currais Novos.

Memória Política 2: Homenagem ao Projeto Rondon em 1971

Em 1971, Cerro Corá acolheu a primeira turma do Projeto Rondon, com estudantes universitários oriundos do Rio de Janeiro. O flagrante histórico mostra, em pé, nos dois flancos, dois acadêmicos de Medicina. Entre os dois, os vereadores Joaquim Sales Guimarães, Ednor Pedro de Melo e José Albino de Assis. Sentados, estão Lourival Libânio de Melo (segundo secretário), o então prefeito José Julião Neto (havia assumido o cargo, como vice-prefeito, em função do afastamento do prefeito Manoel Antunes de Melo), e ainda Lourival Bezerra da Costa (presidente da Casa), Germînio Costa (primeiro secretário) e Francisco Pereira de Araújo, que depois chegou a ser prefeito do município entre 1974/1976.

Repasse federal de quase R$ 8 milhões em sete meses de 2010

O repasse de recursos federais para Cerro Corá chegou a R$ 7,9 milhões entre janeiro e agosto deste ano, é o que diz o Portal da Transparência, a maior parte dos recursos proveniente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que chegou a R$  2,.74  milhões. O segundo maior volume de recursos vem do Fundo de Desenvolvimento da Educação e Valorização dos Professores (Fundeb), com R$ 1.034.402,98, seguido do Bolsa Família, no valor de R$ 1.003.721,00, a qual atende 1.530 pessoas no município.  
Também  houve repasses no valor de R$ 630,86 mil para a atenção básica da saúde e mais R$ 618,7 mil para investimentos a rede física da educação básica e outros R$ 601,9 para desenvolvimento da educação básica. Outro programa do governo, o garantia safra, repassou apenas R$ 83,16 mil e apesar de ser um pequeno volume de recursos, beneficiou até agora 285 agricultores cerrocoraenses.




sábado, 25 de setembro de 2010

Relíquia 1: 7 de setembro de 1970, homenagem ao tri do Brasil

Com esse time ai, nós jogamos  contra Campo Redondo, perdemos lá de um a  zero e ganhamos em casa, também por um a zero, com gol historico de Eugênio Pereira Soares, que não tinha, ele mesmo reconheceu anos depois em conversa comigo no Festival de Inverno, que não tinha muita afinidade com a bola.  Todos nós, ai, estudávamos no Grupo Escolar Querubina Silveira. Em pé, da esquerda para a direita - Tarcisio Lira, João Emanoel Rego Costa, pernambucano que morava com uma tia, na casa onde hoje reside João Bezerra Galvão; João Alfredo Guimarães Galvão, engenheiro eletricista e empresario em Cerro Corá;  Paulo Canário Filho, é empregado da Petrobras aqui no RN; Eugenio Pereira Soares, jornalista e funcionário público federal, da Funasa; o último, em pé, é o Neguinho de Piraca; agachados - Juninho de dona Lilia, como a gente chamava Lourival Bezerra da Costa Júnior, hoje é filósofo e professor universitário; ao lado dele, Valdir e  Vanilson Julião, jornalistas em Natal e, por fim, Rui e Ronilson, filhos de Passarinho, o primeiro é funcionário da Caern em Natal e o segundo é síndico de um prédio em Ponta Negra.

Antigos Carnavais 2: Grêmio Presidente Kennedy (GPK)

Em pé: Lucia Soares, Severino Cândido,  Marlene e Marleide, ao lado do primo Gilson Azevedo, na extrema direita, e entre os dois homens em pé, não consegui identificar as moças. Sentados, uma filha de Chico Soares e o irmão dela, Nelson e outra irmã, Licélia e atrás desta, Maria de Rita, em seguida, de camisa branca e florada, José Julião Neto, presidente do GPK e Francisco das Chagas Melo, irmão do ex-prefeito João Batista de Melo Filho.  Agradeço a quem puder identificar os outros personagens ou fazer as correções que forem necessárias... Acredito que essa foto seja do carnaval de 1968.

Memória Política 1: velório de José Neves na Câmara Municipal

Câmara Municipal de Cerro Corá: década de 60, os vereadores Joaquim Sales Guimarães, Lourival Bezerra da Costa, Manoel Belmino dos Santos, Francisco Pereira de Araújo, José Julião Neto, José Albino de Assis e Antonio Evaristo, não tenho certeza, mas acredito que é o velório de José Neves de Menezes, pai do nosso conterrâneo e funcionário público municipal aposentado, Sérvulo Neves. Tenho a impressão que essa foto ai é de 1968.
Desses ai, ainda estão vivos Manoel  Belmino, pai de Sinval; José Albino e Antonio Evaristo, que é comerciante na Ceasa, em Natal (RN).

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Investimentos em saneamento virão do Prodetur nacional e da Caern, a um custo de R$ 4,33 milhões

Os recursos para as obras de saneamento e esgotamento sanitário constam do orçamento do Programa de Desenvolvimento do Turismo, Prodetur Nacional, cuja execução está prevista para ocorrer a partir de 2011. O projeto orçado em R$ 4,33 milhões vai beneficiar cerca de cinco mil habitantes que residem na zona urbana do município, de um total de 11.235 pessoas.

Depois da execução das obras de pavimentação da RN-203, a chamada "estrada da produção", acredito que essa é a mais importante obra que falta para Cerro Corá, principalmente para reduzir os riscos de doença e, principalmente, por se tratar de um municipio que está incluido no Polo Turístico do Seridó.

Por isso, o blog CERROCORANEWS também entende que a classe política cerrocoraense terá o dever de cobrar o compromisso para a sua execução pelos candidatos que, atualmente, disputam as eleições majoritárias deste ano, sobretudo para o cargo de governador do Rio Grande do Norte.

Resumo do Projeto

üCota per capita de  consumo  de  água  =  150  L/hab.dia
üPopulação ano 2015 (hab): 7.534;
üPopulação ano 2025 (hab): 10.191
üTaxa de ocupação  média  por  residência: 4,18  hab
Fonte - Caern

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Cerro Corá está entre os 58 municipios do RN que elaboram plano de saneamento


Cerro Corá é um dos 58 municípios potiguares dos 152 que são atendidos pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), que estão com os planos de saneamentos concluídos ou em fase de elaboração, cujo prazo termina agora em dezembro de 2010, como manda a legislação brasileira. Segundo a empresa, que presta serviço à população como concessionária a partir de outorga dada pelos municípios, as prefeituras que não apresentarem um plano de saneamento, poderão ficar sem recursos federais para investir na área.
De acordo com a Caern, a Lei 11.445/2007 determina que os municípios elaborem seus planos de saneamento. Os planos municipais devem apresentar soluções  e metas  para os quatro componentes do saneamento básico, que englobam abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem e coleta de lixo. Além das metas, os planos precisam definir as fontes de recursos para execução das obras e serviços na área.
Além de Cerro Corá, na região do Seridó os municípios que estão cumprindo a legislação são os seguintes: Acari, Caicó, Carnaúba dos Dantas Currais Novos, Jardim do Seridó, Jucurutu, Lagoa Nova e Parelhas. Na área da Serra de Santana, inclui-se ainda Bodó e a vizinha São Tomé, na região do Potengi.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Reflexões sobre as eleições deste ano para o pleito municipal de 2012

Como em todos os 167 municípios do  Rio Grande do  Norte, o resultado das eleições gerais deste ano, certamente, é aguardado com muita expectativa pelos líderes políticos locais, pois de algum modo o grupo político que ascender ao poder vai influir nas eleições de prefeito daqui a dois anos e três meses.

Em Cerro Corá não vai ser diferente, embora há de se conviver, que a influência do governo no pleito municipal depende, em muito, da credibilidade do prefeito de plantão em relação aos seus munícipes. 

Além das circunstâncias e do contexto politico na época da eleição de 2012, é praticamente certo que se a senadora Rosalba Ciarlini for eleita governadora do Rio Grande do Norte no pleito eleitoral de 3 de outubro próximo, cresce o cacife político do prefeito Raimundo Marcelino Borges, "Novinho", que será, naturalmente, candidato à reeleição.

Nesse caso, dificilmente haverá um rompimento político entre o ex-prefeito João Batista de Melo Filho e "Novinho", como apostam algumas pessoas no bate-papo de bastidores. Já há quem afirme pelas calçadas de Cerro Corá, que "Joãozinho" já trabalha o lançamento de uma candidatura do filho Álvaro, embora não se comente qual o cargo que ele viria a disputar, se majoritário ou para vereador, cargo pelo qual o pai começou a vida pública na "serra".

Há quem aposte que Álvaro Melo poderia vir a ser indicado candidato a vice-prefeito numa continuidade da aliança política entre o DEM e o PMDB, hipótese, segundo alguns analistas de plantão, mais plausível caso se configure a eleição de Rosalba Ciarlini para o governo do Estado.

Como apoiador da candidatura de reeleição do governador Iberê Ferreira de Souza, a eleição deste acabaria fortalecendo a já consolidada liderança política de João Batista de Melo Filho. 

A eleição de Iberê Ferreira também traria outra incógnita para a vida política de Cerro Corá, quem seria a liderança politica local que sairia mais fortalecida politicamente, já que o estatístico Othon Militão Júnior e a sindicalista Ana Maria da Silva, que foram derrotados por "Novinho" em 2008, também apoiam o governador.

 Resta o presidente da Câmara Municipal, o vereador Antonio Ronaldo de Araújo, que apoia a candidatura a governador do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.






 

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Governo anuncia instalação de canteiro de obras da RN-203

O governo estadual está anunciando o início da pavimentação de três estradas consideradas importantes para a economia e deslocamento das pessoas no interior. Uma delas é a chamada "estrada da produção", que vai ligar a região do Seridó à região do Potengi, a partir da Serra de Santana.  A obra orçada em R$ 30 milhões começa pelo trecho de 35 quilômetros entre São Tomé e Cerro Corá, depois as obras seguem em mais um trecho de 18 km de Cerro Corá até Lagoa Nova e desta cidade, onde já existe um trecho pavimentado que dá acesso a Currais Novos, até Tenente Laurentino Cruz, em mais um trecho de pelo menos 40 km. 

A pavimentação deste trecho da RN-203 encurta em pelo menos 45 km a distância entre Cerro Corá e Natal, a capital do Rio Grande do Norte. Para quem não quiser pegar a estrada de barro, atualmente, tem de ir a Cerro Corá pela BR-226, que liga Natal à região do Seridó, passando pela região do Trari. Na antiga "Ligação", 27 km depois do posto da Polícia Rodoviária Federal em Campo Redondo, o motorista entra à direita à direita na mesma RN-203 para subir à Serra de Santana e chegar a Cerro Corá, situada a uma altitude de 575 metros acima do nível do mar. O percurso pela BR-226 é de 190 quilômetros.

A pavimentação da RN-203 é um sonho antigo dos municípios da Serra de Santana e, segundo o diretor geral do Departamento Estadual de Estradas e Rodagem (DER-RN), vai ter uma pista de rolamento de 7,5 metros de largura, enquanto os acostamentos terão 1,5 metro de cada lado.

“Sabemos da importância das estradas para o desenvolvimento econômico. Com estradas boas facilitamos a vida das pessoas que moram nas diversas regiões do Estado e atraímos novos empreendimentos e investimentos gerando empregos e renda”, destaca o governador Iberê Ferreira, em matéria da Agencia RN.


Cerrocoraense faz sucesso, em João Pessoa (PB), transformando sucata de ferro velho em obra de arte

João de Deus, num momento de lazer
e descanso em sua terra natal
De mecânico autodidata, João de Deus Cavalcante é um cerrocoranse radicado há 23 anos em João Pessoa (PB), transformou-se num artesão de primeira linha aproveitando sucatas de automóveis, que iam para o  conserto em sua oficina, montada no conjunto habitacional Funcionários II, na capital da Paraíba.
Aos 45 anos e filho do marchante Altino Julião Cavalcante e Maria Anunciada, já falecidos, a história de sucesso de “João Cururu”, como ele era apelidado pelos amigos na infância cheia de travessuras em Cerro Corá, chegou a ser contada diversas vezes em veículos de comunicação paraibanos, como em 17 de janeiro de 2008, nas páginas do diário “A União”, com texto do repórter Hilton Gouveia e fotos assinadas pelo fotojornalista Marcos Russo, saiu a matéria “João de Deus, o artista sucateiro”.
Em março deste ano, João de Deus, que é irmão de Dos Anjos, casada com Pedro Julião, foi tema de outra reportagem, agora no jornal “O Norte” de João Pessoa, do grupo “Diários Associados”. A matéria “A arte que nasce da sucata” é de autoria do jornalista William Costa, com fotos de Ovídio Carvalho.
Antes de se tornar um artista autodidata, João de Deus aprendeu o ofício de mecânico de automóveis “bisbilhotando” as oficinas em Cerro Corá, ainda na infância. Nos anos 80, foi morar com a família em São Tomé, na região do Potengi, onde continuou “mexendo” em oficinas da cidade.
Depois, quando ingressou no 17º Grupamento de Artilharia e Combate (GAC), sediado em Santos Reis, em Natal, aprimorou os conhecimentos de mecânica, foi motorista de comandante do quartel, de onde saiu para ser sargento do Exército Brasileiro, transferido para a capital paraibana. Lá, fixou residência com mulher Edilma e dois filhos, um dos quais, Anderson, segue o caminho do pai, tomando conta de sua oficina, enquanto o outro, João Paulo, faz faculdade de Geografia.


Links para matérias


sábado, 18 de setembro de 2010

Túnel do tempo 6: Sete de Setembro, agora é dona Elza Batista Pereira quem entrega premiação a outro aluno do Querubina Silveira

Mesmo dia 7 de Setembro, só que dessa vez, quem entrega uma certificação a Sinval Belmino,  hoje é servidor municipal e casado com minha prima Rita Cavalcante, é a saudosa Elza Batista Pereira, então primeira dama do municipio. A data, provavelmente, é no ano de 1972
Posted by Picasa

Túnel do tempo 5: Dona Zilma Pereira entrega prêmio a aluno do Grupo Escolar Querubina Silveira

Dia 7 de Setembro, entrega de premiação a Manoel Querino, irmão do saudoso Dedé Querino, pela saudosa dona Zilma Pereira Soares, que por muitos anos dirigiu o Grupo Escolar Querubina Silveira. De lado dela, fazendo as vezes de chefe de cerimonial, José Juliao Neto (* 1931 + 1989), atrás dele, o também saudoso Assis Guedes e de camisa branca, Ednor Pedro de Melo, que ainda hoje dirige o seu taxi em Cerro Corá. Atrás, de óculos o saudoso prefeito Francisco Pereira de Araújo, que administrou o município entre 1973 e 1976.  

Professor explica como será feito projeto inscrito no BNB

Josenildo Pinheiro da Silva, 33 anos, é licenciado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e é professor das redes municipal e estadual de ensino desde 1994, em Cerro Corá, sua terra natal. O primeiro livro publicado foi "Poeira Paixão & Poesia (em 2006).

Professor, qual é a proposta desse seu novo trabalho?
livro será misto, faremos um mapeamento das potencialidades de Cerro Corá, ressaltando esses aspectos de forma mais emotivas, digamos, sem esquecer as informações dos locais a serem mapeados; pretendemos coletar textos de autores locais, relacionados com as potencialidades.


Com a verba do patrocínio, então, você sai em campo para dar cria a obra?
Exatamente,  o projeto será produzido em parceria com Eliedson Melo, na verdade a idéia foi dele, que me chamou pra fazer a parceria.

Essas potencialidades, são um mapeamento dos talentos, que existem na nossa terra, onde moram, o que fazem, por exemplo?
Tentaremos delimitar o objeto ao máximo que pudermos, para fazer algo mais aprofundado, mas vamos tratar os aspectos naturais, culturais, sem esquecer que a população cerrocoraense também tem seu diferencial, e terá espaço. 





Cerro Corá inscreve cinco projetos no Programa BNB de Cultura 2011

Desde a primeira edição em 2005, Cerro Corá aparece, enfim, com a inscrição de cinco projetos para a edição 2011 do Programa BNB de Cultura, que já patrocinou 1.131 projetos de 4.747 municípios do semiárido brasileiro, que incluem áreas da região Nordeste, norte de Minas e do Espírito Santo.
Dos cinco projetos de autores cerrocoraenses habilitados para análise final, apenas um tem autoria de pessoa física: o professor Josenildo Pinheiro da Silva, que inscreveu na categoria de Literatura, a seguinte obra poética: “Neste Sertão de Serra, no caminho das pedras”. Pinheiro já publicou um livro de poesia e este ano, com o apoio da Câmara Municipal, lançou a obra "Poder Legislativo - 55 anos de história", com a minibiografia de todos os vereadores eleitos em Cerro Corá.
Professor Josenildo Pinheiro inscreve
obra no BNB  Cultural
Os outros quatro projetos foram inscritos por pessoa jurídica, dois dos quais na categoria Literatura: “Biblioteca Comunitária”, proposto pela Prefeitura Municipal e ainda “Biblioteca Escolar”, cujo proponente foi a Escola Municipal José Rodrigues dos Santos.
Também estão habilitados para a análise final, na categoria de Artes Cênicas o “Projeto de Teatro Itinerante” da Escola Municipal Sebastiana Alves Noga e na categoria de Artes Integradas e não específicas o projeto “Casarão da Cultura”, da Associação Cerrocoraense.
A relação dos projetos contemplados no Programa BNB de Cultura 2011, feito em parceria com o BNDES, será divulgada em 30 de novembro de 2010. 

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Edilson Oliveira explica humilhação que sofreu em Fortaleza (CE)

Edilson Oliveira envia e-mail para o blog, explicando o episódio envolvendo o chefe da delegação de atletismo do Rio Grande do Norte, que recentemente participou das Olimpíadas Escolares de Fortaleza (CE). Segundo ele, a pessoa conhecida como Fernando, havia lhe falado que não podia seguir junto com a delegação potiguar, porque Edilson Oliveira não estava credenciado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e que o ônibus que levaria a delegação para a capital do Ceará já estava lotado.


"Fui humilhado", relata Edilson Oliveira, que ao chegar em Natal para se integrar a delegação norte-rio-grandense, foi convidado pelo representante da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Seeel), que tinha 13 vagas no ônibus e que ele poderia viajar junto com a delegação.


Porém, Oliveira explica que ao chegar em Fortaleza, foi novamente mal tratado por Fernando, dizendo que "eu tinha passado por cima da ordem dele" e não devia ter vindo com a delegação.


O professor Edilson Oliveira informa que ficou hospedado numa pousada próxima ao hotel, onde ficou ficou a delegação do RN. Certa noite, quando foi levar uma pizza para os atletas de Cerro Corá, de idade entre 12 e 14 anos, Edilson disse que "foi expulso" pelo chefe da delegação, alegando que não podia ficar no hotel e que ele estava tumultuando o ambiente: "Isso foi terrível, pois tudo isso ocorreu na frente dos atletas", lamentou Oliveira.


Para contrapor, Edilson Oliveira afirmou ter tido ao chefe da delegação do RN, que era colaborador do esporte no Estado e que era responsável por nove crianças de Cerro Corá que integravam a delegação potiguar de atletismo. "Os pais dos meninos só deixaram que eles viajassem se eu estivesse presente", chegou a argumentar Edilson, que finalizou: "Magnólia Figueiredo ficou indignada com tudo o que ocorreu".

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Túnel do tempo 4: Sérvulo Pereira aplaude escolha de rainha

Na mesma festa do padroeiro São João Batista, à esquerda, o saudoso Sérvulo Pereira de Araújo, primeiro prefeito constitucional de Cerro Corá, e um dos baluartes para que o município fosse desmembrado de Currais Novos, como o foi em 1953 e, no ano seguinte, instalado pelo então governador Silvio Pedroza. No meio Zélia Garcia, que passava o cetro de rainha e que hoje é esposa do nosso conterrâneo "Sobrinho de Antonio Amaro" e que, depois de residir durante anos na Paraíba, também voltou, como outros conterrâneos, a residir em sua terra natal.

Túnel do tempo 3: Aluizio Alves prestigia festa de São João - anos 60


Cerro Corá sempre esteve na vanguarda das festas sociais. Como exemplo, o flagrante ai da escolha da rainha e princesa da Festa do Padroeiro de São João Batista. Com o então governador Aluizio Alves, dança com a minha prima Maria Lúcia Soares, hoje residente em Assu. Ao lado, Analtides Assunção, dançando com o tio José Assunção, que foi gerente de lojas de tecidos na "serra" e que morou com a família na Casa Grande da família Pereira de Araújo.  Analtides atualmente reside em Mossoró, com o marido Raimundo Florêncio, nosso conterrâneo e irmão do saudoso Valdir Bezerra.

Livro de João Maria Alves entre os dez mais vendidos na Siciliano

O livro do fotojornalista João Maria Alves - "Cidades Seridoenses - Caicó" - que deve lançar a segunda edição pela Editora Sebo Vermelho em alusão a Cerro Corá, está há três semanas entre os dez mais vendidos, na categoria regional, na Livraria Siciliano, em Natal.


O ranking dos livros mais vendidos semanalmente está na coluna "Toque - Livros e Cultura", assinada pelo jornalista Carlos de Souza, na TRIBUNA DO  NORTE. 


Na semana de 6 a 12 de setembro, o livro de fotografia de João Maria Alves esteve em décimo lugar, enquanto na semana anterior chegou ao nono lugar entre os mais vendidos daquela livraria.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Edilson Oliveira é destratado por chefia de delegação que foi ao CE

Quem me passou a informação foi nossa conterrânea Cássia Maria Medeiros, que ouviu da nossa atleta e agora dirigente esportiva, Magnólia Figueiredo, queixas quanto ao tratamento dispensado a Edilson Oliveira, durante a sua viagem à Fortaleza (CE), onde acompanhou durante sete dias a delegação de atletismo de Cerro Corá que participou dos Jogos Escolares de 2010, na categoria de 12 a 14 anos.  

O que Magnólia Figueiredo confidenciou foi a arrogância com que Edilson Oliveira foi tratado pela delegação do Rio Grande do  Norte, a ponto de tentarem impedir sua ida para a capital do Ceará e de integrar a comissão técnica. Uma técnica saiu em defesa do cerrocoraense e arranjou um jeito dele ir num ônibus de 41 lugares que conduzia a equipe de pouco menos de 30 pessoas.

Cássia Medeiros informa ao blog Cerro Corá News que Magnólia Figueiredo ficou indignada com o episódio. Como presidente da Federação de Atletismo do Rio Grande do Norte (FNAt), Magnólia Figueiredo irá manifestar repúdio a atitude da chefia da Comissão Técnica, que é uma pessoa ligada à Secretaria Estadual de Educação.

Daniele Duarte, atleta ouro de Cerro Corá, ao lado de Edilson Oliveira,
que merece explicações da chefia da delegação do RN
O blog acha que o fato precisa de uma explicação, considerando-se que o professor Edilson Oliveira é um abnegado do esporte, conseguindo levar a posições de destaque no atletismo do  Rio Grande do Norte, crianças e adolescentes que treinam sem as mínimas condições, porque em Cerro Corá não existe pista de atletismo, treinam em locais improvisados e sem material adequado, inclusive tênis.


domingo, 12 de setembro de 2010

Atleta cerrocoraense é ouro nas Olimpíadas Escolares de Fortaleza

A atleta Daniele Duarte de Cerro Corá é medalha de ouro nas Olimpíadas Escolares em Fortaleza/CE, na prova de arremesso de peso com a marca de 11.58 metros. Dane foi a única atleta do Rio Grande do Norte, na modalidade de atletismo, a ir até a terceira etapa do campeonato que reúne atletas de 12 a 14 anos, e se encerra no próximo dia 19.

Daniele Duarte é treinada pelo professor Edilson Oliveira e foi convocada para a seleção brasileira estudantil de atletismo até 14 anos para participar em novembro de 2010 do Campeonato Sul-americano Estudantil de Atletismo, a ser disputado no Peru. 

Outra atleta de Cerro Corá que poderá ganhar medalha é a Lívia Santos a mesma está classificada para a final que será realizada nesta segunda-feira pela manhã, na prova de 250 metros. Lívia correu a semi-final com o tempo de 34.5 segundos. "A prova é muito concorrida, mas podemos surpreender", disse o professor Oliveira.



  • Com informações por e-mail, para Cerro Corá News, de Edilson Oliveira. Colaborou - Samuel Brito de Lima.

A poesia de José Praxedes, o poeta vaqueiro que estudou em Recanto

      Carro de boi Carro de boi, priguiçoso . . . puxado pur Pintadin e seu pareia: o Mimoso!  Tenho viva a tua musga na minha arrescordação . As risca qui tu dexasse pelas istrada isquisita a istória qui tem iscrita dos teus tempo no Sertão.  - Macha pra lá. . Mimoso! . . Puxa o carro! Pintadin... - U'a subida, u'a baxada, as duas roda infincada nas areia dos camin .  E quato legua pur dia . Se tira mais, cansa o boi! Essa macha demorada papai cortô, já, não quis. Meu avô foi tão filiz. . . meu pobe pai já nao foi, Vovó, tão santa, tão boa,  mandava tirá a canga pra Pintadin discansá. Meu avô tao carinhoso. . . dava capim ao Mimoso, era outo boi no oiá!  Patrão, patroa e carrero, na sombra do ingazero .  Agua de chuva im marimba, banho de cuia im caçimba no rio do Putengi. Rapadura, carne-seca, comprada no Cariri .  Chego o tempo muderno: o artomove, o avião. O trem, essa besta-fera, tarvez pra fazê fiasco, toca fogo no panasco das terra do meu Sertão  - oi... oi... -  O carro de boi parô Pintadin saiu pastando cum seu pareia: o Mimoso! Minha avó e meu avô im seu eterno reposo .  E lá na fazenda veia, duas cavera branca tã infeitando o camin: de um lado morreu Mimoso! Do outo lado: Pintadin!
  •  JOSÉ PRAXEDES BARRETO (1916 - 1983), nasceu a 15 de novembro na fazenda ‘Espinheiro’, município de Currais Novos, atualmente Cerro Corá (RN). Filho de Francisco Praxedes Barreto e Maria Segunda Barreto. Aos sete anos de idade foi matriculado na Escola do povoado Recanto, do mesmo município, onde sua família passou a residir. Com 16 anos foi internado no Colégio Pedro II, hoje Ruy Barbosa, na capital do estado. Durante as férias ele retornava à Recanto, onde se dedicava, de corpo e alma, a vida do campo. Nas vaquejadas era alvo da admiração e orgulho dos vaqueiros; contava em versos a vida do homem sertanejo.
    Casou-se com Hilda Pinheiro, em 1941, e geraram José Praxedes Filho. Em 1950, como quase todo nordestino fazia à época, tomou um ITA, navio, juntamente com a mulher e o filho, e desembarcou no Rio de Janeiro. No ano de 1960 publicou o livro “O Sertão é Assim”; posteriormente, em 1970, foi publicado “Meu Siridó”, que teve uma 2ª edição em 1979, pela editora Clima.
    Um dos seus trabalhos, mais importantes foi o livro “Luiz Gonzaga e Outras Poesias”, que é a primeira biografia sobre o Rei do Baião, inclusive, toda escrita em versos matutos, com o prefácio de Luís da Câmara Cascudo, editado em São Paulo no ano de 1952. 
  • Fonte - Sociedade Brasileira do Cançaço

Cerro Corá fora da lista de unidades de conservação arqueológica do RN

Embora em Cerro Corá existam diversos sítios arqueológicos, com inscrições ruprestres e achados que são alvo, inclusive, de estudos por professores da Universidade Federal do Rio Grande do  Norte (UFRN), o município não aparece, pelo menos no último Anuário Estatístico (2008) publicado pelo Instituto Estadual de Defesa do Meio Ambiente (Idema-RN), na lista das unidades de conservação e sítios arqueológicos do Estado.

Neblina dá tom do clima no período de inverno em Cerro Corá.
 Ao fundo, a Igreja de São João Batista, na avenida São João, centro da cidade.
No levantamento feito pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artistico Nacional (Iphan), estão nessa relação 44 municípios do Rio Grande do  Norte, dos quais, estão na região do Seridó os seguintes municípios: Caicó, Carnaúba dos Dantas, Equador, Florânia, Jucurutu, Parelhas, São João do Sabugi e Serra Negra do Norte.

A uma altitude de 575 metros acima do nível do mar, Cerro Corá é a nona cidade mais alta do Estado, dentre as 15 com altitude superior a 500 metros. A primeira mais alta é Tenente Laurentino Cruz e a terceira Lagoa Nova. Os três municípios situam-se todos na Serra de Santana. 

Essa questão deve estar no rol das preocupações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente Turismo tendo em vista, entre outras coisas, a dimensão que a indústria "sem chaminé" vem ganhando desde a criação do Festival do Inverno e as riquezas naturais de Cerro Corá, com os vales vulcânicos, suas características do relevo geográfico, o antigo túnel da estrada de ferro, afora o clima frio, mais acentuado durante o período de inverno. Ademais, tem de se considerar que Cerro Corá está incluído no Pólo Turístico do  Seridó.